O QUE EU APRENDI SENDO ATLETA DE FISICULTURISMO



Após alguns anos sendo atleta de fisiculturismo da categoria Bikini Fitness, posso dizer que trilhei um caminho vitorioso e repleto de aprendizados. Conheci pessoas incríveis, caminhei lado a lado com grandes ídolos, fui treinada e acompanhada por verdadeiras lendas do bodybuilding, tive a oportunidade de conhecer lugares maravilhosos e adquiri um conhecimento incalculável sobre esporte, pessoas e vida - as minhas grandes paixões. Nestes anos, fui campeã paulista, bicampeã brasileira, 3º lugar Sulamericano e 5º lugar no Arnold Ohio (isto sem contar campeonatos menores no início da carreira).

Olhando pra trás, fica claro pra mim que meus troféus foram importantes, mas que são apenas uma pequena parte das conquistas. Transformei a minha vida através desse esporte. Sai de uma vida sedentária e com quase 25 kg a mais do que meu peso ideal e me reconstruí como pessoa e indivíduo. Passei a me conhecer melhor, a buscar a minha felicidade SEMPRE e principalmente, PASSEI A ME AMAR E A DAR VALOR A TUDO QUE EU FAÇO E QUE ME ACONTECE.

Posso dizer que esse processo de transformação através do esporte deixou ao menos 9 GRANDES LIÇÕES QUE LEVAREI PARA SEMPRE EM MINHA VIDA:


1. MEU CORPO É MEU INSTRUMENTO. Eu posso levá-lo pra onde quiser. Não existem limites e não existem desculpas. Não é nem a minha genética e nem o meu metabolismo que determinam quem eu sou e onde vou chegar, mas apenas a minha mente. E é com ela que travamos nossa grande batalha na vida.



2. DESCOBRI QUE TINHA VÍCIOS que nem percebia como o de comer doces, beber refrigerantes, açúcar em geral. Quando você entra de cabeça em uma dieta, percebe como é sofrido abrir mão de alguns alimentos e sofrer a abstinência deles e como, com o tempo, eles começam a fazer muito menos falta.

3. INCORPOREI HÁBITOS SIMPLES QUE MUDAM A VIDA DE QUALQUER PESSOA como tomar café da manhã, comer em horários corretos ingerindo alimentos coerentes ao invés de  devorar qualquer coisa que apareça na frente em momentos de fome ou nervoso, entender a composição dos alimentos, interpretar rótulos, saber os motivos pelos quais escolho cada alimento, como meu corpo reage a eles e qual o impacto disso na minha vida.

4. APRENDI A FALAR NÃO PARA TUDO AQUILO QUE ME LEVA MAIS LONGE DAQUILO QUE REALMENTE QUERO. Comidas. Atividades. Pessoas erradas. Programas desnecessários. Dinheiro mal gasto. Ou à minha própria mente fazendo barulho quando não deve.

5. Aprendi que não importa o que eu conquiste, não importa o quanto eu evolua e me dedique e o quanto eu não faça mal para ninguém, SEMPRE VAI TER ALGUÉM PARA ME CRITICAR, disparar maldades gratuitas, desejar o mal (quase sempre alguém que parou muito antes ou que nunca tentou começar algo, diga-se. Pessoas frustradas com seus próprios caminhos). E que isso, na verdade, me diz muito mais sobre quem elas são. Não sobre o meu desempenho.



6. Aprendi que nos campeonatos e na vida, em toda avaliação subjetiva, a ENERGIA QUE VOCÊ EMPREGA NA SUA APRESENTAÇÃO CONTA TANTO OU MAIS QUE O SHAPE (PRODUTO) APRESENTADO. Vale para o palco, vale para reuniões e para relacionamentos.

7. Aprendi que o resultado é importante, mas são tantos os fatores que não estão na sua mão (avaliação de juízes, passar mal em cima do palco, se machucar na véspera do campeonato, a qualidade dos adversários) que PRECISAMOS CURTIR O PROCESSO, O CAMINHO. Ganhar um troféu é incrível, mas é o percurso que nos faz mais fortes, mais felizes e mais preparados para a vida.

8. Aprendi que não podemos reagir às críticas daqueles que conhecem o esporte e/ou o caminho que trilhamos, mas internalizá-las e fazer o melhor proveito delas para a nossa própria evolução: seja mudando protocolos, alterando as apresentações ou adotando novos padrões. QUEM ENFRENTA AS CRÍTICAS DE FRENTE E COM O ESPÍRITO FECHADO ACHANDO QUE É MELHOR E ENTENDE MAIS DO QUE TODO MUNDO MORRE CEDO NO ESPORTE. No trabalho. Nos relacionamentos.




9. APRENDI QUE ESTE É UM ESPORTE QUE SE FAZ, acima de tudo, POR AMOR! E quando você ama alguma coisa, você segue em frente. Você "SÓ VAI". Simples assim. Eu vivi pra isso, me endividei, fiquei doente, me machuquei, chorei noites e noites seguidas por tantos motivos, passei fome, desejei chocolates, perdi eventos importantes de pessoas queridas, perdi pessoas queridas... mas acordei todos os dias seguintes com sangue nos olhos pra batalhar pelo meu sonho. E faria tudo de novo. Sem nenhuma dúvida.

TENHA UMA VIDA FANTÁSTICA!!!

Curtiu este artigo?!

Que tal dar uma forcinha e nos ajudar a espalhar nossas mensagens e nosso projeto?! Precisamos de vocês! Curte, compartilha, mostra para os amigos, critique, elogie, faça parte!

E para ficar cada vez mais próximo do Equilíbrio Urbano, segue a gente nas redes sociais:



SNAPCHAT: EQUILIBRIOURB





Compartilhar no Google Plus

Sobre Unknown

0 comentários:

Popular Posts

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...